topo↑

A Utopia do K-pop

Inicialmente, o título desse post seria “K-pop e Preconceito”, onde eu apenas listaria todos os tipos de preconceitos acerca do k-pop, sendo estes diretos e indiretos. Contudo, recentes acontecimentos me fizeram rever esse contexto e mudar um pouco a abordagem (e título) do mesmo. Para os que não sabem o que significa a palavra utopia, aqui vai uma ajudinha do nosso amigo dicionário google:

UTOPIA:
1. Algo imaginário;
2. Sonho;
3. Sistema ou plano que parece irrealizável;
4. Civilização ideal;

Então, utopia nada mais é do que a busca pelo ideal, por algo que queremos muito que mude, mas que temos consciência que está longe de tomar um rumo diferente. E se você pensou que por se tratar de k-pop, o “ideal” que mencionarei nesse post é a vinda de mais grupos coreanos para cá, está redondamente enganado. Claro que este também é um tema importante, e que inclusive utilizei como base no meu TCC, mas vamos por partes, certo?

Sabe-se que o k-pop tem ganhado muita fama e conquistado a cada dia mais um número maior de fãs. Número este que é composto por pessoas de diversas faixas etárias, diferentes culturas, credos, personalidades e… humores.
Não é de hoje que fãs de k-pop se desentendem e criam as famosas fanwars. Mas é de um tempo pra cá, sim, que a coisa tem passado dos limites e atualmente encontra-se num nível insuportável. Todavia, essa é apenas a cereja do bolo de um universo em que, de um lado ficam os que não entendem absolutamente nada do estilo/gênero musical, mas adoram criticar o mesmo e quem o segue; e de outro lado ficam os fãs adeptos que, ora se gostam, ora travam uma batalha incessante em busca de um vencedor que definitivamente não existe (95% do tempo).

 O LADO OPOSTO (OU SERIA DA OPOSIÇÃO?)

“Você e esses seus chineses” — A parcela ignorante

Quantas vezes você já ouviu isso? E pior, quantas vezes você já deu a resposta correta diante dessa afirmação e continuou sendo debochado? Não sei vocês, mas aqui na minha cidade a cultura oriental não é tão famosa e tampouco muito conhecida/praticada. Posso estar muito enganada, mas temos apenas um evento anual desse tipo na cidade, o qual é recente, porém bem divulgado. Sendo assim, é comum as pessoas estranharem quando ficam sabendo que alguém curte isso. Falar que ouve música coreana e que já tentou/tenta aprender coreano? Prepare-se para se sentir um E.T. Isso é pedir pra te olharem torto ou rirem da sua cara. E se não o fizerem “pela frente”, farão assim que você der as costas.

“Cara, esse gangnam style é da hora! Virei fã!” — A parcela ignorante e hipócrita

Epa, mas dias atrás você não tinha falado que não via sentido nesse tipo de música? Que são todos iguais e que eu perco meu tempo apoiando “esse tipo de coisa”? OH WAIT. Esse novo hit que você tanto ouve e já colocou no player do seu carro é k-pop sabia? Quem é o incoerente agora? E como se não bastasse, ainda precisa lidar com: “Ah, mas pelo menos uma esses chineses tinham que acertar né.” Ok. Continue tendo esse cérebro de batata e sendo um ignorante que não dá o braço a torcer. Não gostar do estilo, da cultura ou do que for, tudo bem. Mas não respeitar? Ou ainda: curtir uma música, não ter coragem de admitir isso e permanecer com um preconceito bobo? Caso perdido…

 O FANDOM DE K-POP

“Meu grupo é melhor que o seu” — O motivo da desordem

Esse é o grande motivo do fandom de k-pop estar atualmente de cabeça para baixo. Se tem uma coisa desnecessária e chata é agredir pela web (ou até mesmo verbalmente) o artista preferido de alguém. Qual o motivo de distribuir ódio de graça? Além do mais, não será o comentário negativo de uma pessoa que te fará gostar menos do artista no qual é fã. Tem-se criado muitas fanpages no facebook para digamos que “semear” esse ódio. Funciona assim: a pessoa manda uma sugestão em anônimo para o administrador da página, e este faz a postagem. Querem um exemplo? AQUI / AQUI. Eu sou a favor do “não curte, fica quieto”. Deixa a pessoa ser feliz, sabe? Essa grande quantidade de barracos por metro quadrado no k-pop só cria e aumenta má fama para o mesmo. Se vejo que alguém criticou o artista que sou fã eu tento passar batido, mas tem muita gente que gosta de colocar o dedo na ferida e provocar. Nesses casos, pra evitar o barraco eu excluo a pessoa da rede social, mas tem horas que é inevitável não rolar um mini desabafo. E não sou só eu que penso assim. Tem MUITA gente de saco cheio disso, a constar que a maioria dos fãs revida à quase todo tipo de post negativo contra seu artista favorito. Aí fica a pergunta: porque os haters não usam esse tempo para fazer algo mais útil, como por exemplo divulgar o k-pop de maneira pacífica? E depois os próprios se perguntam porque o k-pop no Brasil ainda não é tão bem visto e deixado de lado diversas vezes, enquanto Peru, Chile e países vizinhos ganham da gente no quesito de eventos relacionados e definitivamente fazem acontecer.

“Vou pegar a pipocar pra assistir” — Os que querem ver o circo pegar fogo

Pior do que os que escrevem posts negativos, são os que incentivam isso. Frases como “vou ali pegar a pipoca e já volto”, dentre outras, são comuns nesses tipos de postagens. E em quê isso ajuda? Absolutamente nada. Apenas provoca o efeito contrário, de encorajamento de mais mensagens ofensivas, e mais desentendimentos entre cada fandom. A discussão aumenta, a revolta cresce… e o resultado? Comentários como esse aqui.

“Jamais a agência Y vai ser melhor que a agência Z” — O favoritismo mal controlado

Que atire a primeira pedra quem nunca leu um post sequer sobre SM versus YG, ou vive-versa. E convenhamos que as discussões de fandom sobre agências num geral, são SEMPRE por causa dessas duas principais. É tanta briga, tanto “dedo na cara” pra decidir quem é o melhor que cansa. E já saturou pra falar a verdade. Não adianta, o fã da agência X terá mil argumentos pra defender o porquê a agência “dele” é melhor que a Z. Ele gosta do trabalho da empresa, ou é ligado aos artistas dela. Ele é informado e ele tem argumentos. Por isso, qualquer tipo de discussão é perda de tempo. Quem me conhece sabe que sou “tiete” da YG, mas nem por isso faço posts atacando as outras agências para defender a que me agrada. Quer discutir isso, discuta na praça, discuta por telefone com seu amigo, discuta consigo mesmo -oi, mas discuta fora das redes sociais. Porquê? Porque online isso se espalha na velocidade da luz, ofende quem não deveria, irrita os outros e vira uma bola de neve sem fim. Não é legal.

“Não sabe a marca da cueca do bias? Seu poser.” — Os veteranos metidos

Falando de perfis no k-pop, os veteranos sabem ser “estraga prazeres” quando querem. Já vi diversas pessoas tacharem fãs novos, ou fãs “mais desligados” como posers simplesmente por não saberem coisas pessoais a respeito dos ídolos. Uma coisa precisa ficar clara: nem todo fã é igual. Uns são extremamente fanáticos (eu), outros querem mais é colocar o som no repeat na playlist e curtir do jeito deles. Cada perfil é um perfil, e tem de ser respeitado. Ninguém é obrigado a saber a ficha completa do artista, incluindo a árvore cronológica dele (LOL), comidas favoritas, marcas de roupas, bichos de estimação e o diabo à quatro. Outra coisa: parem de fazer fãs novos se sentirem inferiores. Isso também gera revolta. E revolta gera barraco, que gera inimizades e etc…

“K-POP! kashdakjsd memes à mil, yuri, yaoi, fanfics e ‘sou fã de todos os grupos'” — Os novatos irritantes

Assim como os veteranos conseguem ser estraga-prazeres, os novatos também conseguem ser bem irritantes. Acho que o fã mais novo que eu me deparei até o momento tinha a idade de 10 anos. Mas com certeza há faixas etárias menores. Algum problema nisso? Nenhum. Não até o momento em que a pessoa começa a poluir a sua timeline com excesso de memes de k-pop, montagens de artistas transando (sim, você não leu errado), sejam estas montagens héteros ou gays; fanfics com conteúdo sexual em modo público e descarado, ou ainda afirmações de que a pessoa ama todos os grupos de k-pop da face da terra e é fã de todos eles, como eu também já vi. É entendível que quando a pessoa descobre o k-pop, seja como gênero musical ou estilo, fique meio extasiada com a quantidade de grupos que tem para descobrir e ouvir. E não apenas isso. Quem descobre o k-pop também pega apreço pela Coreia do Sul em si, e sua cultura. Além disso, quer fazer novas amizades em comum, quer falar sobre isso, quer MOSTRAR que gosta disso e o quanto isso a faz alegre, bem, ou seja lá qual for o sentimento. Mas tudo tem limite e bom senso. Não sou eu quem irá dizer o que você tem que fazer ou quem irá reprimi-lo. A minha atitude será apenas um block e fim da história. Cabe a pessoa a decidir o que postar e de que forma fazer isso.


“O k-pop fez eu me vestir melhor, comer de modo mais saudável, e até mesmo me inspirou a ‘me declarar’ para a pessoa que eu gosto. Eu apenas odeio demais os fandoms. Eles arruinam tudo. Porque eu não posso só amar a música sem ter que lidar com toda a confusão que os fandoms causam?”

Enfim. Eu poderia me estender muito mais nesse assunto e escrever mais a fundo sobre os ataques dos fãs à outros fandoms, postar de fato vídeos e outras mensagens que comprovam isso, além de opiniões de outras pessoas. Dependendo do feedback eu escrevo uma parte 2.
Mas espero que tenha ficado claro que o problema do k-pop não está nos grupos em si, mas sim nos próprios fãs. Pois assim como é através dos mesmos que são feitas as demonstrações de carinho e afeto, é também através deles que surge o fanatismo exagerado, a inveja, os desentendimentos e as brigas entre fandoms. E essa é a nossa utopia. Sabemos que por menores que sejam, sempre haverão brigas. Assim como sempre haverão atos infelizes de um ou de outro fã. Mas cada um faz sua parte, certo? Certo.

Priih

Priscila Cardoso (프리실라 카르도스), ou apenas Priih. 27. Inconstante em muitos níveis e intensa igualmente. Escreve incontroladamente sobre tudo e tagarela sobre a Coreia desde 2008. Descobre novas paixões a cada dia e não dispensa livros, música e uma boa caneca de café.
  • Chell

    Olha só, que post bacana =O
    Eu sou fã de cultura oriental no geral desde sei lá quando na minha vida. Gosto de j-pop, k-pop e doramas e por aí vai, mas não sabia da treta toda que rolava nos fandoms. Eu acho que como TUDO no mundo, quem ferra tudo são as pessoas extremas demais, e isso vale pra QUALQUER coisa e lado. É triste ver isso acontecer. Mas eu já acostumei a ninguém querer colocar minhas playlists em churrascos e festas e ser zoada por isso =/

    23 de Fevereiro de 2016 at 12:02 Responder
  • Isadora Oliveira

    Só digo uma coisa: A-M-E-I !!!!! Com infinitas exclamações pra enfatizar a minha paixão por este post. Eu entrei nesse mundo do K-pop faz sei lá uns 3 meses e sinceramente concordo com tudo o que você disse, principalmente esse negócio de se sentir intimidada pelos que são k-poppers há mais tempo. E eu vou te falar uma coisa: Eu sinceramente estava com medo de falar de k-pop no meu blog pessoal justamente por causa dos comentários negativos ignorantes e também pelo fato de ser novata, críticas, essas paradas todas. E agora eu meio que perdi o medo e o importante é que sim, eu gosto de k-pop, sim eu fã como qualquer outro fã independente do tempo e sim eu vou falar sobre k-pop, porque foi algo que me envolveu facilmente e amo pra caramba. Sério, obrigada por ter escrito este post maravilhoso,mesmo <3

    22 de Fevereiro de 2016 at 21:43 Responder
  • niechoi

    Oi Priih linda ♥ me sinto na obrigação de comentar aqui, infelizmente só fui ver o post hoie e desculpa se eu comentar algo que alguém já comentou, mas também preciso desabafar sobre esse assunto (◡‿◡✿) . Posso estar sendo uma “veterana chata” como a citada no texto dlaskjdhas mas é a maneira que eu sinto sobre o que está acontecendo com “o mundo dos fãs kpop”.
    Entrei nessa de vez em 2010, eu tinha um tumblr de kfashion na época e nem sabia que kpop existia saldkjas até aparecer o mv de ringdingdong do SHINee na dash e acabei descobrindo o kpop. Na época NINGUÉM com quem eu convivia conhecia o kpop, eu estava no colegial e minha amiga gostava de jrock na época, então foi a primeira na qual eu trouxe pra esse mundo (do caos) kpop huehuehue. Depois em um curso acabei conhecendo um guri que conhecia algumas kbands que eu gostava e ele me mostrou muitos vídeos antigos que eu nem sabia que existiam etc, e assim ficamos bastante unidos, eu, minha amiga e esse colega. E o bullying era sempre presente LOL, pois como temos o mesmo grupos de amigos, todas vezes que nos reuníamos, nossos outros amigos estavam juntos, então em pouco tempo eles já zoavam a gente sobre o assunto, reclamavam que só falávamos disso, viam um asiático random e já apontavam pra gente (?), enfim, foram “mil tretas” e mesmo com essa parte zoada eu sinto falta daquele tempo rs.
    Acabei me afastando desse colega, pois ele é do tipo citado no texto “fã de todos os grupos” e com o bônus de “SEI TUDO SOBRE ELES OMG SEI MUITO MAIS DO QUE VCS 15X, SOU A ENCICLOPÉDIA HUMANA DO KPOP BITCH PLS VCS NUNCA CHEGARÃO NO MEU NÍVEL HAHAH VOU ALI OFENDER OUTRO GRUPO PORQUE EU POSSO JÁ QUE CONHEÇO TUDO NÉ BRB”, e não dava mais pra aturá-lo hue.
    Aí blz, em 2012 teve um evento de anime na cidade, e uma menina ficou dançando músicas do SHINee durante o evento, e sério, eu olhava pros lados e via que praticamente NINGUÉM conhecia, quase todos ficavam: “wtf is going on?? que música é essa que ela ta dançando lol??”, e eu lá cantando ringdingdong (e a xingando mentalmente por ela estar dançando uma coreografia random ao invés da coreografia da música), e eu lembro que fiquei bem feliz no dia, tipo WOW MAIS ALGUÉM CONHECE SHINee AQUI WOW.
    Do nada ano passado, no mesmo evento (é realizado todos os anos na minha cidade), tinham dois grupos de kpop cover pra se apresentarem (um dos grupos eram de pessoas da minha cidade e o outro de uma galera que acho que eram de Curitiba, memória falhou agora hue), e uma sala kpop. Eu levei um susto pois em 2012 quase ninguém conhecia sobre e BOOM! dalçsdkjas pra mim foi muito do nada isso. E ok, assisti os covers, participei do quiz da sala kpop etc, com isso conheci os “kpoppers da minha cidade” e automaticamente já odiei eles (◕‿◕✿). 90% dos kPoPpErS que conheci daqui se resumem em:
    1. hurr sou otome e agora otomes gostam de kpop hurr;
    2. AAAAAAAAA QUE ASIAN GOSTOSO ME COME!1!
    3. hm eu gosto de chamar a atenção, fazer dance cover de kpop chama a atenção? NOSSA AMO KPOP!11! SOU KPOPPER GENTE!1!
    Eles são do nível de ficar gritando as gírias que “todo kpopper tem que saber” em coreano, lotar o face de spam, amar todos os grupos mas ao mesmo tempo fazer fanwars lmao, enfim, fazer com que eu não me sinta mais feliz/confortável em dizer aqui na minha cidade que eu gosto de kpop, pois sei que a primeira coisa que eles vão por na mente é que sou igual essa galera aí, já que são a maioria rs.
    Vai ter um evento de cultura asiática mês que vem na minha cidade, que nem é específico pra animes como o outro que citei antes, e nos três anos que foi realizado, nunca teve kpop, e esse ano vai ter os dois mesmos grupos covers se apresentando e tenho certeza que o número que verei de kPoPpErOs lá será bem maior do que no evento que fui ano passado, e espero realmente que os novos fãs não sejam desse mesmo “tipo” dos que conheci, mesmo que acho improvável pois cidade do interior é foad, e muitos outros vão acabar conhecendo o kpop através dessa galerinha que eu citei :/
    Sem contar que aqui o pessoal tá num nível de fetichização, um assunto que nunca tinha parado pra pensar sobre, que aliás nem sabia que existia até umas semanas atrás, até que fui parar pra ler e refletir (até sobre coisas que eu fazia também) e WOOA dá vontade de colar em todos os murais de uns kpoppers que vejo por aí.
    Enfim, não sei se o problema sou eu, de estar ficando velha, chata e talvez, sei lá, preconceituosa?/? Não sei também se é ciúmes (TABI IS MINeEeEe n), muito menos se isso acontece em outras cidades etc, mas o que está acontecendo aqui ultimamente realmente me irrita (e MUITO!).
    Acho que acabei falando mais do “mundo real” do que o virtual, e acabou sendo mais um desabafo mesmo D:
    Mas resumidamente, o mais importante que vou desabafar sobre o “mundo virtual de fãs kpop”, é que antes a galera se unia pra ajudar o kpop, mesmo você não sendo fã daquele grupo, você ajudava pois sabia que podia contar com aquele fandom pra quando você precisasse em alguma votação também, e todos ficavam felizes se um grupo coreano ganhasse aquele tal prêmio que estava disputando com contores/bandas famosas no mundo todo (na qual os fãs dessas bandas/cantores nem sonhavam que a banda coreana existia – ohwait! minha mente está sendo invadida por flashbacks do EMA2011 HAHA ♥), e é disso o que eu mais sinto falta.
    Nof! Parei com o texto por aqui dasçldkajs desculpa Priih, pois até eu achei ele grande OTL, mas pagarei essa terapia que tive aqui com fotos no twitter ok?! KK btw I’m so proud of you & ILY ♥

    25 de Fevereiro de 2014 at 13:56 Responder
  • Cris

    Eu sou meio novata nesse universo, conhecia já a muito tempo, quando tvxq e super junior surgiram, mas não virei fã na época, só a um ano que comecei a ouvir mais mesmo, mas desde do início nunca fui fangirl, zoo todos os grupos que eu gosto, não sei o nome dos integrantes e no fundo, não estou nem ai. Gosto da música e pronto. Mas o pouco que eu vi no face e conversei com amigas viciadas que eu tenho, notei essas coisinhas chatas. Tenho uma amiga que fica louca comigo quando zoo super junior. Ela até tenta levar na boa, mas não leva mesmo, fica estampado na cara. E olha que só estou zuando, não estou falando mal, imagina se estivesse. E realmente, são questões super chatas, pra que isso? Que nem a briga do fandon de 2ne1 do Brasil e do México, é muito feio isso e dá até vergonha alheia… E acho que o preconceito dos outros, por ouvirmos música coreana, nem é mais tanto problema, pelo menos não pra mim, já que ouço música japonesa desde os 11 anos, então nem sofro com isso mais (e olha que a minha cidade é pequena e um ovo), o problema é realmente essas fans doidas… Esse ano está para vir grupos para cá e eu quero poder ir em algum que eu goste, mas confesso que eu estou é com medo dessas fans, principalmente por eu não me encaixar nesse universo de bias e sei lá mais o que… Parece que nesse universo ou você é fan viciado ou você não curte nada, bem chato isso… Mas, ligo o botão do dane-se tudo e toco a minha vida, porque né, fazer o que com a essa gente?
    Beijos! =**

    22 de Fevereiro de 2014 at 11:44 Responder
  • Marcelo7up

    Como eu sou super novato no mundo k-pop eu não vou me meter muito no seu post, mas o que posso dizer? PERFEITO, o que seria de mim sem você pra me guiar nesse mundo do k-pop? eu descobri o G-Dragon, fiquei perdidamente louco por ele, corri desesperadamente atrás de todos que via pela frente dentro do k-pop, esperando que alguém me acolhe-se e me mostrasse quem era o G-Dragon, o que é o k-pop, o que aconteceu? eu fiquei frustado, todos que procurei me esnobaram, me humilharam feito um cachorro pulguento e doente que fica jogado pelas ruas, ninguém me respeitou, e tudo piorou, porque era um novo mundo que eu estava descobrindo através do G-Dragon, ate que um dia do nada, através de uma simples mensagem no last.fm, acabamos nos conhecendo e você se tornou a minha lanterna dentro do mundo misterioso e escuro (escuro por ser um mistério, algo desconhecido, um túnel que você quer descobrir o que tem dentro dele) que é o k-pop, tudo melhorou quando te conheci, todas as fã bases deveriam ter pessoas como você, o mundo k-pop, o G-Dragon, e toda essa historia, se tornou a NOSSA historia, pelo simples motivo de você ser essa pessoa especial e que acolhe as pessoas com toda a paciência do mundo…

    29 de Janeiro de 2014 at 0:41 Responder
  • Cih

    Caraca, Priih! Que desabafo! Super desabafo! rs…
    Eu nem vou iniciar uma tese aqui porque eu respeito o gosto de cada um. Esse tema que você abordou faz parte da diversidade, que muito se discute hoje em dia mas, o povo ainda não sabe aplicar para todos os temas da vida.
    O pessoal acha que respeitar a diversidade é só sobre cor da pele, opção sexual e classe social!
    Tá errado!
    Vai demorar para todo mundo aprender a se respeitar de verdade.
    Eu não gosto e nem desgosto de K-pop. Aqui em Sampa a hostilidade é pouca. Pelo menos no meu círculo de amizades!
    Tem gente que gosta de rap do iraquiano, outros gostam de samba, eu curto heavy metal e hard rock… e a gente se respeita. By the way, acho os coreanos lindões! hahahaha
    E se não respeita, eu simplesmente ignoro… Odeio gente que se acha dono da verdade absoluta!
    Kiss, falou e disse! ~.~

    31 de julho de 2013 at 22:02 Responder
  • Gesiane

    Prih se puxou no post… ADOREI. e isto se encaixa não só no K-pop, né? Sofro isso com o minhna Japão mania tb! Ahhh RESPEITO, key-word… se todo mundo tivesse…

    4 de julho de 2013 at 13:36 Responder
  • Letícia

    Falou e disse Prih! Acho que o pior disso tudo são ‘Os veteranos metidos’, não só entre o k-pop quanto em qualquer ~tribo~ por ai! Mas pra que ajudar a entender e contar curiosidades e coisas novas se você pode ser um chato do caramba e ter ódio da pessoa só por ela ser iniciante naquilo, né? ¬¬

    18 de junho de 2013 at 3:05 Responder
  • Edypo

    Priiii primeiro de tudo ~Parabéns pelo post!~ Eu fico tão feliz em saber que existem pessoas que AINDA pensam dessa forma e pelos comentários abaixo (acho que meu comentário vai lá pra cima kkkk) não é só você e isso me deixa muito feliz.

    Então eu conheço o K-POP desde 2009 na época do lançamento do mini-álbum do SHINee “2009, Year Of Us”, um amigo me mostrou o clipe de Ring Ding Dong e até hoje estou até fanboylizando (oi?) o SHINee e alguns grupos do K-POP, eu me lembro que assim que eu comecei a ouvir e a conhecer outros grupos eu achava muito estranho a formação dos grupos, a quantidade de integrantes e o idioma, pois até então eu não conhecia nada relacionado a Coreia do Sul mas acho que foi essa estranheza todo que me atraiu mais ainda pra esse mundo. Foi também a época que eu conheci o Twitter foi lá que eu conheci pessoas que gostavam desse estilo, pessoas essas que são complemente diferentes dos fãs de K-POP de hoje, você deve saber. E com o passar dos anos 2010/2011 o K-POP só foi crescendo mais e mais, lembro em 2011 das primeiras matérias falando sobre o K-POP no programa Leitura Dinâmica da Rede TV e de muitas pessoas no Twitter comentando que temiam que essa exposição do K-POP ia atrair esse tipo de fã e eles não estavam errados. Meses depois o Twitter estava LOTADO de todo tipo de fã e muitos desses “novatos irritantes”, junto deles começou a surgir brigas ou os \popcorn que era como a gente falava lá, foi nesse momento que eu parei de usar o Twitter porque já estava cheio de tanta coisa, de tanta gente julgando de poser o outro por não comprar os álbuns que lançavam dos seus K-idols ou por não saber a coreografia, etc. Hoje eu estou só pelo Facebook e ai que me surge essas páginas tão bondosas semeando a paz e o amor entre os fãs (só que ao contrário), eu posso falar eu acompanho sim essas páginas, mas não perco 1 segundo do meu dia comentando nado principalmente quando é essas fotos falando mal de algum K-Idol, como essa mesmo que você linkou falando do SHINee eu como fã quase ~quase~ fanático deles deveria estar lá comentando loucamente e reclamando de todos que comentassem algo negativo sobre os meninos, mas o que eu fiz, apenas olhei e ignorei, porque não vale a pena se cada fã apenas ignorasse também essas briguinhas quase nunca iam acontecer porque gente ruim querendo arrumar confusão sempre vai existir.

    Enfim Pri, basicamente tudo que eu relatei aqui você passou pelo mesmo porque você é quase da mesma época que eu no K-POP \velhos sjakjsaks Parabéns de novo pelo post, só você mesmo ❤

    18 de junho de 2013 at 0:44 Responder
  • Patrícia

    Gente que post lindo, sinta o meu orgulho!

    Sabe, quando eu tinha tempo eu era exageradamente k-popper e dorameira; sabia de todas as notícias, virava a noite assistindo doramas e programas de tv, e quando percebi eu não tinha mais uma vida. Era só eu e esses meus “chineses”.
    Hoje sou muito bem resolvida quanto a isso. Por mais que eu tente expulsar o k-pop ele continua lá, escuto outros estilos de música, alguns totalmente contrários, mas não sei se vou deixar de gostar de k-pop jamais.
    Só que, como você mencionou, os fãs, os fandoms, fanwars, newbies, veteranos e tudo mais acabam com a magia. Então hoje em dia, eu digo que sim, eu gosto de música coreana, sim, eu escuto isso todos os dias, eu me atualizo sobre o que acontece no mundo pop da Coreia (na medida do possível), mas eu tenho uma vida!
    Não vou morrer se não tiver dinheiro para comprar o novo mini-álbum do meu grupo favorito, não vou me trancar em casa e ficar com os olhos grudados na tela do computador pra não perder nada, não vou me prender ao estilo musical e esquecer que a Coreia vai MUITO além de k-pop, enfim… Acho que quando você gosta de algo de forma saudável, aquilo só vai te fazer bem.

    Parabéns pelo texto, maninha, excelente. <3

    18 de junho de 2013 at 0:18 Responder
  • Mari Duarte

    Parabéns pelo post Pri, acho que meu comentário vai ser grandinho.
    Então, aqui em Brasília é o segunte: gosta de k-pop = infantil. Não importa se todos cresceram assistindo animes, se comem comida japonesa, se você escuta algo que não seja português/inglês, você é o babaca que tem que crescer (o que eu não vejo sentido pq gostar de outra cultura não quer dizer que você é infantil)
    Eu cliquei nessa imagem do SHINee que apareceu “ninguém aguenta mais” (ou coisa assim) e não me lembro quando amarraram todo mundo e foram forçados a ficar estudando, o país é livre gente, cada um escuta o que quer. Não gosta da CL, da Hyuna, ou de qualquer outro grupo? Que bom pq ninguém é obrigado a gostar de tudo, mas não é necessário insultar quem gosta ou até mesmo o grupo que não tem nada a ver com isso. Esses dias eu vi uns haters do Jonghyun falando “ah nem fez falta, continua horroroso e cantando mal” eu fiquei muito triste, pq enquanto tem gente que é hater, nós fãs, ficamos agoniados até ele dar sinal de que estava bem de novo. Ser fã e ter que aguentar comentários assim é horrível.
    Outro ponto, concordo com o anonimo do Tumblr. K-pop mudou bastante minha forma de agir (positivamente), passei a me expressar mais, a aceitar o meu estilo e minha forma de pensar (pq até então sentia vergonha por ter mais de 18 e ainda chorar com coisas super fofas), mas o fandom está a cada dia mais insuportável. Eu infelizmente tenho que analisar o perfil da pessoa antes de puxar papo pq tem muita gente ignorante nesse fandom, o que chega a ser contraditório pq esses mesmos são os que falam que não querem ser julgados.
    E por favor, faça uma parte 2 kkkkk seu post me inspirou, qualquer dia desses abro meu coração no meu blog tb lol
    <3

    17 de junho de 2013 at 23:46 Responder
      • Mari Duarte

        Minha mãe criticava mais, mas ela viu que k-pop e a cultura japonesa/coreana virou minha válvula de escape de todo o stress que eu passo no dia-a-dia, só minha irmã que atormenta mas é coisa de irmão mais novo HASIUSHUSHASUHSAU É feio julgar gosto alheio mas nós ainda estamos bem, tem coisas “piores” que k-pop e que a gente passa longe. Pelo menos essa coisa “infantil” teve um impacto maravilhoso na nossa vida, foi a coisa que eu gostei que mais me mudou positivamente e nunca vou negar que gosto dessa loucura toda hahahah
        Só quem tem um bias sabe o que é defender alguém que não sabe da sua existência mas que tem grande importância na nossa vida, isso só é sem noção pra quem é de fora mesmo, por isso tento não me levar por comentários negativos.
        awn, você é um amor <33 eu sempre tive vontade de conversar com vc tb, tem gente que só de eu olhar um pouco o blog e ver fotos eu sinto que já vou me dar bem. Mas sempre que me ver online no facebook ou twitter é só gritar!

        18 de junho de 2013 at 1:40 Responder
  • Patricia

    Eu concordo com você, algumas brincadeiras são até engraçadas mas realmente é possível ver quando a coisa passa dos limites…
    Gostaria de ver uma segunda parte sim mas não exatamente sobre os fãs brasileiros, mas sobre os preconceitos em geral, sabe o que me incomoda no k-pop?? É todo o machismo que ele vem propagando nos últimos anos, são fãs sempre loucos para medir o tamanho da roupa da k-idol para analisar o quanto ela é mais vadia ou menos vadia que outra k-idol( alias ultimamente eu tenho notado que as pessoas andam desesperadas atras da oportunidade de chamar uma mulher de vadia, agora para ser cool você TEM que achar alguém uma vadia e dizer ao mundo que você descobriu ”mais uma”), escândalos sobre a possibilidade de alguma artista não ser mais virgem,tipo antes dos 30 anos, toda essa ladainha de escândalos por ser vista ao lado de um homem etc… toda essa tentativa de passar uma imagem puritana da Coreia do sul e que sinceramente, sei que não existe.
    Outro ponto interessante é sobre a vida de quase escravos que muitos k-idols levam e que muitos confundem com dedicação aos fãs.Poxa vida! Você é fã dos caras e percebe que eles estão sendo mega explorados pela agencia e acha legal??!! Acho que nós fãs temos que protestar mais sobre isso,quando vejo uma artista praticamente a pele e osso por causa que surgiu comentários de que ela estava gorda e precisava perder peso eu fico revoltada!
    Os próprios fãs, têm piorado a vida dos artistas( veja o que aconteceu no show do GD por exemplo). Bom finalizando, n-n eu gostaria muito que abordasse esses temas, pois creio que isso entra muito no que poderíamos chamar de utopia k-pop.

    17 de junho de 2013 at 15:03 Responder
      • Luiza Albuquerque

        O que aconteceu no show do GD? e.e Tô por fora desse assunto ~

        17 de junho de 2013 at 23:58 Responder
  • Maíra

    Ahh, que post fofo *-*
    adorei, eu concordo com tudo que você falou! sem tirar nem por ^^

    acho que as pessoas chegam ao um nível realmente muito exagerado, ficar brigando por grupo favorito, ou membro favorito, realmente é bem desconfortável, bom eu não sou uma fã fanática como você, amo, adoro, ouço sempre, e sempre me acalma, tenho fotos no meu computador, e to querendo comprar um monte de coisinhas deles, como fanlight e camisetas, mas realmente sei bem pouco da vida deles, e como você disse cada fã curte da maneira dela ^^

    adorei o post, e espero que as pessoas tenham consciência de que cada um tem um jeito de ser fã e respeite isso né? :D

    ps: posso perguntar uma coisa, que eu realmente sou muito tapada? ahahuaha o que significa bias, eu sei que é tipo membro favorito, mas bias, não entendi hauhauh ok, eu realmente sou bem alienada com isso ahuahuaha

    beijinhos :*

    posso pegar esse icone do boom shakalaka? ADOREIIIIIII *-* dou créditos com certeza!

    17 de junho de 2013 at 14:12 Responder
  • Áxil Borges

    Oi Prih ^^
    A minha opinião é bem parecida com a sua, parecida num nível extremo. Eu nunca me importei muito com essas pages de humor e até curto uma ou outra, mas de uns tempos para cá, isso está passando dos limites, tá muito bagunçado, antes o intuito era “se divertir” e nem era tão ofensivo, agora as pessoas perderam a noção e ultrapassaram todos os limites, o intuito passou a ser agredir e causar confusão. Eu ando meio de saco cheio do fandom de K-Pop, totalmente desanimado com tudo, porque eu realmente queria q as coisas fossem diferentes. Eu já tenho 2 anos de fandom (não é muito) e quando entrei, eu via tudo muito colorido, meninos fazendo coisas de menina e meninas fazendo coisas de meninos, parecia tudo tão diferente, parecia que o K-Pop era um reino sem preconceito, bem, essa visão não durou muito e logo eu percebi que não era nada disso.As pessoas são muito preconceituosas, as pessoas curtem ser “hater”, curtem ficar brigando, eu não sei pq, mas existe gente que gosta disso. Eu perdi a fé no fandom de K-Pop e acredito que as coisas tendem a piorar, pq as pessoas se respeitam cada vez menos. E também perdi a fé de que teremos nossos idols aqui, porque enquanto as pessoas divulgam o K-Pop em outros lugares da América do Sul, outras pessoas agem como se K-Pop fosse “uma seita maluca com rituais de iniciação”, tratando mal aos novos fãs e os chamando de “posers”, como o fandom crescerá assim?!
    Bem, eu me sinto representado por esse post, pela sua opinião, muito obrigado por o fazer e eu adoraria uma Parte 2

    17 de junho de 2013 at 13:59 Responder
  • Loma

    Apenas o melhor post da história da blogosfera! Clap clap clap! Acredito que, assim como no futebol, no cinema: os fãs destroem tudo. É um amor que beira ao ódio, uma falta de senso de que opinião é única e indiscutível. Acham que porque um é bom, todos devem amar e pronto. Acreditam na unanimidade como prova de que algo é excelente, isso só desvaloriza o trabalho do artista. Há anos escutei falar de BIGBANG mas nunca me dei ao luxo de procurar por apenas não me apetecer. Quando parei pra ouvir e ver as produções, fiquei fascinada e pensei: como nunca gostei disso antes? Acho que antes de qualquer julgamento, as pessoas devem ter conhecimento da causa. A convivência seria muito mais fácil e o respeito não seria uma utopia. Parabéns pelo post. Minhas amigas são as mais inteligentes, plmdds! <3

    17 de junho de 2013 at 13:41 Responder

Comenta, vai?