topo↑

Existe vida pós TCC?

Estava relutante em fazer esse post não somente pelo fato de eu ter sumido do mapa, mas também por ter um certo medo de que minhas palavras não sejam interpretadas da forma correta. Afinal de contas, estou ocupada mas não estou offline 100% do tempo, e (como alguém disse essa semana na minha timeline do twitter) percebi por entrelinhas que tenho recebido pedradas gratuitas. Como se o meu sumiço significasse que esqueci dos outros e que não tenho outras coisas importantes pra fazer, como por exemplo um trabalho pra cuidar, um projeto de TCC inteiro pra criar, uma vida pessoal e etc. Mas enfim, o foco principal desse post na realidade é outro.

Mesmo antes de começar a faculdade e escolher qual curso eu gostaria de fazer, eu já havia ouvido falar muito do tão temido TCC, e sentia um arrepio só de pensar. Além disso, vi inúmeras vezes a minha irmã passar madrugadas em claro na época em que a mesma estava fazendo sua monografia. O que passava pela minha cabeça era “Será que eu vou conseguir chegar até lá?”. Bom, aqui estou. Consegui sobreviver aos 3 primeiros anos da faculdade e agora falta pouco menos de 1 ano para concluir tudo e me formar. Porém, a mesma pergunta ainda martela na minha cabeça noite e dia. Ok, cheguei no último ano, e agora? Parece que é muita coisa acontecendo ao mesmo tempo. Muitos livros, artigos e trabalhos para ler, muitas regras e prazos para cumprir, muito de si para doar. Desde que eu era pequena eu já li muito, é verdade. Ainda adoro ler, mas confesso que fiquei preguiçosa e acomodada demais. E justamente por ter esse apreço peça leitura não imaginei que fosse ter grandes problemas para escrever. Só que percebi algo nesse último ano. Escrever num blog utilizando uma linguagem informal é uma coisa, escrever um texto científico e ainda por cima utilizá-lo para defender a sua opinião é outra totalmente diferente. Quando começo um livro preciso ler mais de duas vezes uma mesma frase para realmente absorver o seu contexto. E eu não era assim. Não antes de existir a internet e eu “emburrecer” um pouquinho por causa dela a cada dia. Percebi que na maior parte do tempo não consigo me expressar, fico horas olhando para a página em branco do word sem ao menos saber por onde começar. Faltam argumentos, e eu não tenho vergonha de admitir isso. Nunca me achei melhor do que ninguém e nem pretendo. O fato é que eu gostaria de ter a facilidade que alguns tem para lidar com essa situação. E não só isso. Eu quero projetar algo que os outros realmente gostem. Que vejam o resultado final e comentem “Nossa, ótimo trabalho!”. Ou que leiam o meu projeto e digam “Bela defesa, você explicou muito bem”. Sei que não é tão simples assim e que para isso acontecer eu vou precisar dar duro, o melhor de mim. E eu estou tentando, juro. Talvez o meu rendimento seja um pouco mais lento, mas ainda assim eu não parei no caminho. Se já pensei em desistir? Milhões de vezes, pra ser sincera. E esse primeiro bimestre que passou me fez enxergar que eu poderia ter me dedicado mais, pois confesso que comecei com o pé esquerdo. Mas ainda tenho 6 meses pra reverter essa situação e apresentar um trabalho de qualidade para a banca de professores. Eu não vou desistir, ao menos não agora que estou tão perto. O que são mais algumas madrugadas para quem já passou 3 anos assim? Afinal de contas eu quero poder sentir o gosto de satisfação por ter passado por tudo isso, chegar na minha formatura e dizer: “Valeu a pena”. Quero que alguém sinta orgulho de mim e quero superar as minhas próprias expectativas. Quero poder ter a minha vida ~normal~ de volta. E eu quero chorar muito, mas por sentir uma felicidade sem tamanho.

PS.: Gostaria de agradecer aos comentários e sugestões que recebi quanto ao meu post anterior, me ajudaram muito! Prometo visitar cada blog e responder à todos assim que possível.

Priih

Priscila Cardoso (프리실라 카르도스), ou apenas Priih. 29. Inconstante em muitos níveis e intensa igualmente. Escreve incontroladamente sobre tudo e tagarela sobre a Coreia desde 2008. Descobre novas paixões a cada dia e não dispensa livros, música e uma boa caneca de café.
  • Patrícia Gomes

    Calma que tudo vai dar certo e quando passar será um alívio e felicidades. Anciosa por novidades!

    Beijoos

    1 de setembro de 2012 at 16:51 Responder
  • Moon

    Saudadinhas do seu blog e de você, moça.

    Quanto as pedradas que recebeu, não ligue. As pessoas sempre querem um motivo para reclamar. Eu posso estar muito ocupada, mas encontro um jeito de olhar o e-mail sempre, seja no trânsito, seja no elevador. E isso não deslegitima minha ocupação.

    Quanto ao TCC, deveria agora estar focada no meu. Rs. Diferentemente de você, não estou com essa exigência toda em torno do meu e, portanto, acho louvável a sua posição. É admirável que consiga ter essa visão tão madura a respeito. Mas cuidado para não se exigir de maneira excessiva e lembre-se que seu cérebro, ocasionalmente, precisa de um descanso para que funcione de maneira apropriada. Respire, relaxe, divirta-se também.

    Sobre sentir que a internet “emburreceu” você… Bem-vinda ao clube. :P Tenho muitas teses a respeito disso, gostaria de poder bater um papo com você sobre. Fazemos um uso muito restrito da internet, é verdade. Esquecemos o quão rica ela pode ser, e acabamos diariamente no “mais do mesmo”. Você está numa área relativamente alternativa e poderia usar dessa linguagem informal em um texto científico. Não acho mais que o mundo exija total formalidade e cientificidade; estamos em outra época. Não se exija tanto a respeito.

    E um conselho precioso que me deram: não fique olhando a página em branco. Comece a escrever. Mesmo que fique ruim. A suposta inspiração sempre chega – no segundo, terceiro, quarto parágrafo, que seja. Depois que tomar o gosto, volte e reescreva. Funciona para mim :)

    Um beijo, querida. Boa sorte em realizar o que deseja.

    3 de agosto de 2012 at 3:00 Responder
  • Patricia Gomes

    Tenha calma. Pode parecer dificil, mas eu sei que vc consegue. E sei bem como é essa sensação, não passei por ela ainda mas a gente sempre sente uma inseguraça e antes mesmo de passar por algo assim já fico me questionando algo desse tipo.

    Boa sorte!

    30 de julho de 2012 at 11:50 Responder
  • Amanda

    Sei bem como é isso, já passei essa fase de TCC na época eu até sonhava com o que eu tinha que escrever e tal! Mas o bom disso tudo é a certeza que a gente sempre consegue chegar lá, ouça bem as dicas dos seus orientares.
    Sorte para ti!

    21 de julho de 2012 at 22:15 Responder
  • Gesiane

    … é escrever é prática, minha sorte é que mesclo linguagem coloquial (na internet) e linguagem formal (nos relatórios)… até mesmo na internet tento escrever as palavras certo… nada de muito “internetes”!!!

    Mas tenho certeza que vc vai conseguir… e este pensamento de “será que vou conseguir?” passa na cabeça de todo mundo, passou na minha tb… e acabei me saindo muito bem (sem querer me gabar hehehehe ~)

    Ganabtte ne… Foco mana! kiss <3333

    31 de maio de 2012 at 14:13 Responder
  • Thai

    Espero que onsiga vencer mais essa etapa, eu ainda nem comecei a faculdade e já estou com medo, e realmente, por termos tudo fácil demais , simples demais na internet, ficamos um pouco (ou muito) acomodados, espero que tudo valha mesmo a pena, aliás, tenho certeza de que isso vai acontecer. Bjos

    http://myselfandthai.blogspot.com.br/

    24 de maio de 2012 at 1:27 Responder
  • Leone

    Olá! : D

    Primeiramente queria elogiar seu blog, digo que tem uma estilo/aparência bem apropriado para você. (e me fez lembrar que preciso fazer o meu também :3 )

    Sobre seu post, não sei se comentei contigo já em outras conversas, mas como sou péssimo para escrever qualquer texto,e leio muito pouco (mal lia um livro por ano), tive que me virar usando algumas construções básicas de texto, como criar um pseudo-sumário, organizar em tópicos as ideias e a sequencia em que devem ser apresentadas, isso já me ajuda a construir os links entre cada informação, é como desenhar, dá pra começar a desenhar detalhadamente desde o começo, mas é um processo mais difícil, e até mesmo profissionais evitam , por isso é sempre bom construir uma estrutura antes pro desenho (oque no texto seria equivalente ao pseudo-sumário).

    E sobre a vida pós TCC eu só quero dizer uma coisa… eu quero minha vida de volta!

    Boa sorte com seu tcc, se concentre e se esforce que você chega no final : D

    7 de maio de 2012 at 1:39 Responder
  • Loma

    Pri, acho que a maior parte da dificuldade nessa história toda está vindo da sua cobrança. Não estou te julgando, eu fiz isso com o meu TCC! Emburreci também, ao longo dos anos aprendi a pensar em 140 caracteres. Me cobrei absurdamente e a cada nova cobrança que eu colocava na cabeça, eu travava mais. Isso se dá pelo medo de você não alcançar nem as suas expectativas e nem a dos outros. Mais pelas suas… pq suas exigências estão lá no alto. Honestamente? Eu tenho certeza que você é capaz d euma defesa memorável. Quando terminei meu TCC, considerei feito nas coxas, na pressa, mal feito – mas tirei 9,5 (veja, não foi 10, eu queria 10) e meu coordenador me falou que eu deveria emplacar um mestrado seguindo a mesma linha de reciocínio. Veja bem: na banca fui aplaudida em pé. E meu tcc foi solo. Chorei e sinto que não merecí tudo isso, a gente nunca acha que merece. Nossas expectativas são tão altas que a gente tem preguiça de começar achando que não vai conseguir. Relaxe um pouco essa cuca, corra atrás do prejuízo, concentre-se. Eu tenho certeza que você é capaz e que vai ficar excelente, e olha que te conheço pouco! Quer bater uma aposta? Agora, quanto as pedradas gratuitas – fui eu que twittei, heh – não esquente a cabeça. Elas chegam por inúmeras razões e de onde menos esperamos. Se não for pela sua ausência, será quando você estiver presente e twittar demais. Que tal relaxar e focar no trabalho, hein? GANBATTEEE! :D

    7 de maio de 2012 at 1:39 Responder
  • Jeys

    Eu desejo que vc consiga manter-se firme nessa jornada, porque realmente não é fácil!!
    mas no fim vale a pena, tenho certeza! :)

    Bjsssss

    7 de maio de 2012 at 1:27 Responder

Responder paraPost a Reply to Leone Cancelar resposta