Author:Priih

Não seja um porque: a relevância de 13 Reasons Why

abril 8
8 comentários

Antes de tudo: esse post está recheado de spoilers, então sugiro que você assista a série primeiro e depois o leia. Ou você pode ignorar esse aviso e ir em frente, afinal de contas, esse post é válido para qualquer um disposto a compreender melhor as particularidades de cada um, ou seja: por que certas pessoas agem como agem?
Mas por que “recheado de spoilers”? Porque conforme eu assistia e me identificava com experiências e características dos personagens, senti que eu deveria 1: expôr em detalhes o que a série refletiu pra mim; e 2: reforçar os sinais para aqueles que talvez não tenham absorvido o potencial da abordagem feita pela mesma. Então não trata-se de uma crítica – até porque já tem várias por aí, basta jogar no google – mas sim uma looonga análise, das diferentes questões apresentadas ao espectador.

“Pegue um lanche. Acomode-se. Porque eu estou prestes a contar pra você a história da minha vida.”

Hannah Baker é uma garota linda. E veja bem, poderiam ter escolhido uma atriz comum, que não tivesse olhos azuis ou um rosto tão marcante. Mas talvez – talvez – não causaria o mesmo impacto. Pelo infeliz fato de que muitos de nós costumam ter a ideia errada de que certas coisas não acontecem com certas pessoas. “Uau, ela é tão bonita, com certeza tem tudo sob controle”, “Ela deve ter a vida perfeita” – e se enganam com a seleção de momentos maravilhosos publicados nas redes sociais, colocando uns e outros em pedestais imaculados. Mas a verdade é que ninguém está livre de problemas ou de sofrer danos psicológicos e traumáticos causados pelos mesmos. Não… O que acontece é que alguns de nós se esforçam para escondê-los muito bem.

Desafio fotográfico literário

março 16
2 comentários

Se tem uma coisa que eu tenho, essa coisa é cara de pau (tá, nem sempre). E faz MUITO tempo que estou a fim de compartilhar as fotos de um desafio literário super bacana que participei, err… no ano passado (?). Pois é, acabei enrolando ao decidir a melhor forma de organizar o post devido a quantidade de imagens, então no fim das contas simplesmente deixei de levá-lo adiante. #sinceridades Mas aí eu disse pra mim mesma: “Priscila, ou tu posta essas fotos no blog, ou elas ficarão esquecidas no drive eternamente”. Então pronto! Até porque seria uma pena não compartilhá-las por aqui ♥ .

Dia 01 – TBR (to be read), ou: livros que você pretende ler no mês

Fazer valer a pena

janeiro 2
15 comentários

Estive pensando qual a verdadeira razão de eu renovar esse domínio a cada ano novo para mais uma jornada, mesmo com atualizações não tão frequentes, e mesmo com um valor agora salgado a se pagar por tal serviço – é… preciso trocar de host.

Porém, não demorei muito para constatar o óbvio. A verdadeira razão é que isso aqui me faz muito bem. Mas às vezes fico tão ocupada com outras coisas, que acabo me esquecendo como é bom ter esse refúgio que criei e cuidei com tanto capricho e carinho. E a gente sempre acaba voltando para aquilo que nos faz bem, não é? Ou ao menos deveria ser assim. Não deveríamos nos esquecer nem por um segundo do que nos motiva, nos tranquiliza, nos deixa à vontade, nos desestresssa, nos preenche. E assim como que por coincidência, ontem, ao reassistir Titanic (siiiim, haha) pela milionésima vez e sem pretensão alguma, uma citação do Jack acabou por complementar muito bem essa linha de pensamento na qual eu refletia sobre:

“Eu acho que a vida é um dom e não pretendo desperdiçá-la. Nunca se sabe a mão que se irá receber em seguida. A gente aprende a aceitar a vida como se apresenta. Fazer cada dia valer a pena.”